Os oleiros e a gestão da lenha nas cozeduras redutoras : aproximações etnoarqueológicas em Portugal - HAL Accéder directement au contenu
Article dans une revue Estudos do Quaternário Année : 2017

Potters and wood management in the reducing cooking: Ethnoarchaeological Approaches in Portugal

Os oleiros e a gestão da lenha nas cozeduras redutoras : aproximações etnoarqueológicas em Portugal

Résumé

In Europe, little is known of the traditional production of black medieval pottery in terms of fuel management. Charcoal analysis of this kind of remains are very few and written documentation is often silent. This is why ethnoarchaeological approach plays an important role when attempting to understand this activity. A new research program has been developed in Portugal (2005-2007) where the last European potters produce black ceramic still using the medieval technical process in a reducing atmosphere. Interviews and observations of cooking potteries, systematically recorded by audiovisual means, enrich the archaeological data. Ten or twenty days before using the kiln, fuel is cut with rural and everyday tools and no specific choice has been noted. The potters and their families collect twigs (diameter < 2 cm), not big branches or trunks, because they want a very quick rise of temperature into the kiln before closing the door. Thus, the cooking potteries process is successful. This type of fire and fuel management lead to maintain an open landscape. Intangible elements have been observed for the first time. But the major result is the variability of the practices that need to be underline.
Na Europa, o abastecimento em lenha que os oleiros utilizam nos fornos de cozedura redutora medieval é mal conhecido. Com efeito, os dados antracológicos são escassos e os textos a esse respeito são muitas das vezes silenciosos. Impõe-se por isso uma abordagem etnoarqueológica, para compreender melhor esta actividade. Uma missão em Portugal, entre 2005 e 2007 teve como objectivo, observar os últimos oleiros artesanais cozendo a sua cerâmica em atmosfera redutora, como na Idade Média. Os inquéritos orais e as observações das cozeduras foram sistematicamente registadas e filmadas. Os dados obtidos completam as observações arqueológicas. Dez ou vinte dias antes da cozedura, os oleiros e seus familiares cortam a lenha com a ajuda de instrumentos agrícolas de uso quotidiano. Não foi observado nenhum corte de lenha em particular. É recolhida lenha de pequena dimensão e calibre (<2cm) e não ramos ou troncos, visto que o oleiro deseja um rápido aumento da temperatura nos fornos, antes do seu encerramento. A gestão da lenha e do fogo durante a cozedura, levam a manter as matas limpas. Pela primeira vez, foi dada atenção à observação dos elementos imateriais. O resultado mais importante da pesquisa e que deve ser sublinhado, centrou-se na adaptabilidade dos gestos e na variabilidade das práticas do saber-fazer.
Fichier principal
Vignette du fichier
246-1094-1-PB.pdf ( 1.76 Mo ) Télécharger
Origine : Fichiers éditeurs autorisés sur une archive ouverte
Loading...

Dates et versions

halshs-01534382, version 1 (07-06-2017)

Identifiants

  • HAL Id : halshs-01534382 , version 1

Citer

Aline Durand, Jacques Thiriot, Helder Abraços, Laurent Maggiori. Os oleiros e a gestão da lenha nas cozeduras redutoras : aproximações etnoarqueológicas em Portugal. Estudos do Quaternário, 2017, 16, pp.99-106. ⟨halshs-01534382⟩
645 Consultations
355 Téléchargements
Dernière date de mise à jour le 09/06/2024
comment ces indicateurs sont-ils produits

Partager

Gmail Facebook Twitter LinkedIn Plus